Emagrecer comendo bem

Fome emocional

Como ganhar Vale-Joule, a moeda calórica que fortalece sua carteira?
Pensando Como Magro

“Se o tema não é poema, pança teme balança.”
Ne Oliveira

Emagrecer pode até ser fácil. Permanecer com o peso ideal, entretanto, costuma ser um desafio para ex-gordinhos. Há vários métodos que funcionam, deixando a pessoa tranquila com a balança, mas o resultado nem sempre tem a duração desejada. É muito comum uma retomada aos velhos padrões de comportamento, e aí vai todo o esforço por água abaixo.

Se você quer afinar sua silhueta definitivamente, precisa também exercitar seus neurônios. Isso mesmo! Transforme seu cérebro em um aliado na batalha contra as gorduras.

Vença o "vilão engordativo"

"Não vou mais assaltar a geladeira a partir da próxima semana" é uma frase que vive saindo da boca de muitos que desejam emagrecer. Falar é fácil, não fazer isso é que parece difícil, tudo por conta do impulso de comer. E como controlar este vilão aparentemente invencível? Regra básica: Você precisa ser mais forte do que ele. Por mais complicado que pareça, vale a pena tentar. Faça isso e você se sentirá extremamente poderoso após cada vitória.

Algumas mudanças na rotina diária podem ser estratégicas nessa hora. Por exemplo, ao chegar em casa, mude seu trajeto habitual. Em vez de entrar primeiro na cozinha, vá tomar um banho neuróbico antes do jantar.

Coma bem

O ideal é consultar um nutricionista antes de adotar uma nova dieta alimentar. Se não puder fazer isso, procure sempre lembrar que uma pitada de bom senso no seu cardápio é extremamente salutar. Tendo como base que equilíbrio é a palavra-chave para uma alimentação saudável, dietas extremamente restritivas podem ser muito perigosas. Ou seja, é óbvio que você vai emagrecer se ficar alguns dias jejuando ou submetendo-se a um semijejum, mas isso pode comprometer sua saúde, pois seu organismo vai carecer de diversos nutrientes.

Precisamos de proteínas para repor ou reparar nossas células e carboidratos para garantir o combustível que faz funcionar nossa máquina corporal. Vitaminas e minerais também são imprescindíveis, pois participam de uma série de processos bioquímicos e fisiológicos fundamentais ao bom funcionamento do nosso corpo. Até os temidos lipídios têm função e não podem ser deixados de lado. Só para você ter uma ideia, são eles os responsáveis pela proteção dos seus órgãos vitais, atuando como um amortecedor para os rins, fígado, baço, coração, medula espinhal e cérebro. Colaboram na regulação da temperatura corporal, produção de hormônios e síntese de algumas vitaminas, porém são extremamente prejudiciais à saúde, quando estocados em excesso no organismo. Por isso, convém evitar a ingestão de gorduras em demasia, principalmente as saturadas, que podem provocar o entupimento dos vasos sanguíneos.

Outro item que não pode ser negligenciado é a água, sem a qual nosso corpo perece, pois dependemos dela para digerir alimentos, transportar nutrientes e eliminar toxinas. Quando falta água no seu organismo, um mecanismo de retenção de líquidos é acionado e seu intestino passa a não funcionar a contento. Mesmo ingerindo uma quantidade significativa de fibras, a eliminação pode não fluir naturalmente, pois estas "vassourinhas" precisam de água para realizar as faxinas periódicas no trato digestivo.

Ser seletivo na hora de escolher o que vai entrar na sua boca é o primeiro passo para nutrir seu corpo de forma adequada. O segundo passo diz respeito à forma como você come. Já parou para prestar atenção nisso? Qual é a sua postura na hora da refeição? O garfo vai até você ou você vai até ele? Você saboreia realmente a comida ou simplesmente abocanha os alimentos? Quais pensamentos lhe fazem companhia enquanto você está à mesa? Tais questionamentos constituem apenas uma amostra dos inúmeros hábitos que devem ser revistos, caso você realmente queira manter a forma. Para começar, o que acha de uma refeição neuróbica?

Aprenda a lidar com suas emoções

Você come quando está triste? Se a tristeza vem acompanhada de fome verdadeira, tudo bem. Entristecedor mesmo é pensar em comida toda vez que bate aquela fome que não vem do estômago. É fome, sim, mas puramente emocional, é carência de alguma coisa, mas que nada tem a ver com gêneros alimentícios.

Emoções não resolvidas podem virar gordurinhas indesejadas quando buscamos amparo no prato de comida. Por isso, é tão importante saber separar a fome da vontade de comer. Não quero dizer com isso que a alimentação deva ser desvinculada do prazer. Pelo contrário, enquanto sentir fome de verdade, aproveite para curtir sua refeição. Por isso, é tão importante comer devagar, saboreando cada pedaço do alimento. Quanto às outras fomes, elas devem ser saciadas de outras formas. Que tal pensar sobre isso antes de sucumbir às guloseimas como um autômato?

Cabe ainda esta lembrança, na hora da comilança: pança nem sempre rima com balança.

Quer canalizar sua energia adequadamente para manter seu corpo em forma? Marque com a gente uma sessão motivacional para estimular seu cérebro a fazer isso. Você vai conhecer na prática como funciona o treino multissensorial que visa promover seu emagrecimento definitivo.

Para visualizar sua dinâmica mental, faça um check-up on-line. É grátis.

O que você acha de trocar por grana cada grama extra que você quer eliminar do seu corpo? Quanto vale isso?

Veja também:
Dieta dos passos
Plástica sem cirurgia
Exercite sua percepção
Emagreça dando risada
Papo saudável
Fique com pique
Menu inicial





Voltar

Copyright © Ne Oliveira. Todos os direitos reservados.